Servidor preso em Guajará cobrando dinheiro de turistas atuava na própria Polícia Federal

O homem preso nesta quarta-feira (29), pela Polícia Federal, acusado de solicitar valores indevidos de turistas, é servidor da própria PF, segundo apurou o Site. O acusado é da classe do ex-território e colocado à disposição da corporação.

A investigação da Polícia Federal foi iniciada após denúncias de que o servidor da instituição estaria cobrando valores para o registro de entrada e saída de pessoas do Brasil, através desta região fronteiriça.

O servidor valia-se de sua função pública, na migração, para cobrança de valores indevidos sob a justificativa de que a própria Polícia Federal cobrava multas para o registro migratório, fato este inverídico.

O flagrante aconteceu no momento em que o servidor solicitou valores de turistas no Porto Oficial de Guajará-Mirim. Com o acusado foi encontrado e apreendido, um aparelho celular e R$ 400 em espécie.

As investigações continuarão e a Polícia Federal alerta que não solicita valores em espécie de migrantes. Qualquer multa ou valores devidos à instituição devem ser pagos por via boleto bancário em nome da instituição.

A ação demonstra que a insitituição não compactua com atos ilegais, punindo até na própria corporação.


Rondôniagora

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem