AUMENTO DO IPTU ACIRRA DEBATES NA CÂMARA

Com o intuito de debater a polêmica questão da Revisão da Planta de Valores do IPTU municipal e outros projetos do Poder Executivo que objetivam aumentar a carga de tributos, membros da Associação Comercial de Guajará-Mirim buscaram mais uma vez a Câmara Municipal na manhã de segunda-feira (15), para juntos com o Parlamento da cidade, tentarem encontrar soluções para a celeuma gerada pelo impacto da matéria prestes a entrar na ordem do Dia no plenário da Casa.

Já na abertura da reunião, o vereador Augustinho Figueiredo (PDT) deu seu veredito antes da tomada de decisão do plenário. Disse que é contrário ao aumento do IPTU para toda a população enquanto a prefeitura não acionar os 50 maiores devedores do imposto predial da cidade, cujas cifras somadas hoje orbitam na faixa de R$ 2.600.000 (Dois milhões e Seiscentos Mil Reais). “Não é justo os cidadãos comuns e as pessoas mais carentes pagarem uma taxa absurda de aumento no IPTU, enquanto existe um débito pendente por parte de uma elite cujo montante daria para trabalhar várias melhorias em forma de serviços e benfeitorias em prol de toda a população”, justificou.

Mostrando que está sempre aberto ao debate e as idéias que objetivam a procura de soluções para os problemas da cidade, o presidente da Câmara, advogado Sérgio Bouez (PSB), também deu seu parecer aos presentes sobre as matérias do Executivo. “Não adianta virem querer empurrar goela-abaixo assuntos de interesse geral sem uma consulta prévia ou análise acurada com todos os extratos sociais. A Casa de Leis Municipal funciona como câmara de eco de todos os anseios da população a qual representa e, portanto, deve estar sempre de prontidão para acatar idéias, propostas e sugestões, sem aceitar qualquer tipo de pressão, venha de onde vier e nem tampouco aprovar projetos de Lei a toque de caixa”.

De acordo com Bouez, existem na planilha do projeto coisas coerentes e coisas absurdas. Afirmou ainda que o estudo de todo o programa exige uma demanda de tempo para que todos os vereadores se debrucem sobre os prospectos a fim de julgarem de forma consciente sobre tão complexos assuntos antes da votação em plenário.

Em conversa com a assessoria da Câmara após o evento, o presidente da Associação Comercial, Márcio Badra, disse que à primeira vista a proposta do Executivo de aumentar o IPTU é impagável. Avaliou que a matéria precisa ser exposta para discussão parágrafo por parágrafo, artigo por artigo com prefeito, técnicos da prefeitura, Câmara de Vereadores, entidades de classe e população em geral. Badra acredita que o momento mais propício para que ocorra este debate seria após o término das eleições de 2018.

Toda a reunião demorou cerca de 40 minutos. Os vereadores Adanildson Sicsú (PCdoB), Isaac Lucas (DEM), Raimundo Barroso (PMN), Roberto do Mercado (PMN) e João Vanderlei (PSDC), também se fizeram presentes a este evento.

Fonte: Assessoria